destaques
destaques
Visitors

Today: 247
Week: 2.660
Total: 4.895.895

badge
%AVATAR%

%LOGIN% %TIMESTAMP%

%COMMENT%

17 de julho de 2021 às 09:54 526 views

MeaddFAN: anyataylor

Qual a sensação de ser MeaddFAN?
- Terceira vez é o charme, dizem, né? Depois de mais de uma década no Meadd.com, entre idas e vindas sem ganhar selo nenhum, e, no decorrer deste último ano (!) ser escolhido três vezes, acho que é uma sensação surreal que não vai mudar nunca! Faz pouco mais de três meses que recebi meu último selo, então não estava nem esperando receber outro ainda esse ano. Não era nem o meu foco no momento, apesar de querer muito. Eu acredito que eu seja uma pessoa com a intuição bastante aflorada e nas duas últimas vezes tive uma sensação diferente que me dizia para deslogar do site e aguardar, e em ambas eu obedeci esse pressentimento e, de fato, o selo veio, porém dessa vez foi diferente. Estava vindo de uma semana extremamente conturbada e difícil e o Meadd estava em último na minha lista de preocupações, nem estava pensando em Destaques. A reação foi de completa surpresa quando aconteceu e eu estou até agora me beliscando sem acreditar que meu cantinho dedicado à Anya foi reconhecido e recebeu o tão querido selinho roxo. “Que?????? Eu mesmo????” era tudo o que eu conseguia dizer quando recebi a notícia. Fui até a página inicial do site e fiquei atualizando a todo segundo sem conseguir acreditar que era o meu login ali no cantinho mesmo. Na grade oficial eu olhava para a foto da Anya, que é de um dos meus ensaios favoritos dela (prova é que eu não tive coragem de trocar o look inteiro ainda mesmo já tendo todo o planejamento do próximo na minha cabeça), e era muito difícil assimilar que estava vendo ela no último quadradinho. É sempre bom ser reconhecido dentro do site e o selo oficial é uma das coisas que mais almejamos aqui dentro, um certo tipo de validação de todo o nosso trabalho, como se dissesse “sim, você conseguiu transmitir com o seu login o quanto você ama esse artista!”, então eu fiquei extasiado ao mesmo tempo em que chocado, pois sentia que ainda tinha muita coisa que eu precisava mostrar sobre ela aqui dentro antes de “me provar” neste login. Quem tem um espaço dedicado a um artista que ainda está crescendo sua carreira e conta com poucas fontes de fotos e poucas fotos em si vai me entender. É sempre um malabarismo para fazer tudo render e eu adoro inventar coisas pra fazer, então já estava preparando uma temporada temática para apresentar o meu trabalho favorito dela e, apesar do sucesso meteórico da Anya no último ano, sua participação em eventos foi limitadíssima por conta da pandemia. Enfim, demorou muito tempo, diria até que dias, para eu finalmente entender que havia conseguido esse selo e teria a oportunidade de responder essa entrevista. Obrigado, Alien!

Onde você estava quando soube que tinha sido destaque? Foi alguém que te avisou?
- Estava em casa, deitado no quarto assistindo ao filme “De Repente 30”, esperando encerrar a noite com um dos meus filmes favoritos e logo em seguida um banho quente e longo, pois estava MUITO cansado. “In suffering we find our truest selves.” (THE MINIATURIST, 2017) Havia tido uma semana muito pesada, difícil e provavelmente a mais triste da minha vida. No sábado anterior a minha avó havia falecido por consequências do COVID-19, após ter sofrido 64 longos dias na UTI lutando por sua vida. Foi a maior perda que eu já sofri, e apesar de já ter perdido outros familiares antes, ela era uma pessoa muito próxima de mim e que foi fundamental na formação e crescimento de quem eu sou hoje. Se eu sou o colecionador que vocês conhecem, é por causa dela. Sinto que uma parte de mim foi embora junto com a minha avó e é um sentimento desesperador pensar que nunca mais vou ouvir sua voz ou sentir o seu abraço. A semana que seguiu foi difícil por inúmeros motivos: além de ter que lidar com sua falta gritante, também tive que ser um apoio emocional ao meu avô, que sentiu a perda dela ainda mais forte que todos nós da família. Passei todos os dias da semana em sua casa, o que adiciona uma outra camada tangível a esse luto que será eterno. O domingo em que fui destaque também coincidiu com o meu aniversário de 26 anos e eu não consegui nem por um segundo comemorá-lo, então o site definitivamente não estava na minha mente. Quando a grade saiu, recebi uma ligação do meu melhor amigo, João (@timotheechalamet), me surpreendendo, comemorando o selo e me parabenizando por ele. A sensação de choque passou por todo o meu corpo e foi muito difícil assimilar que era o meu login na página inicial, afinal de contas, eu nem havia logado no dia ou sequer na semana inteira. Assistindo a minha expressão confusa com um sorriso ENORME, devo frisar, ele então explicou que havia postado por mim poucas horas antes e indicado o meu login como um presente de aniversário - e não é que ele conseguiu o que queria? Tudo o que eu conseguia repetir naquele momento eram duas palavras: “QUE? EU?!”. Os poucos que me conhecem aqui dentro sabem o quanto esses detalhes são significativos para mim, então receber um selo (que por anos eu almejei e não veio) no dia do meu aniversário é algo MUITO, mas MUITO importante pra mim e que vou levar com o maior carinho para sempre. Vira e mexe eu entro na página de MeaddFAN só pra ver o dia 11/07/2021 estampado em, o que eu espero, que seja para sempre. Depois da euforia em ganhar um selo tão significativo pude olhar meu WhatsApp vi que também tinha mensagens da Cute (@jenniferlawrence). Receber esse destaque de forma inesperada, acho que de certa forma, era o que eu precisava para seguir uma segunda semana sem a minha avó. O site foi uma grande distração pra mim durante uma década inteira da minha vida e também uma muleta emocional nos tempos difíceis quando o que eu mais precisava era apenas falar sobre os meus ídolos. Fico feliz que ainda consigo fazer tudo isso aqui e que o Meadd resiste, mesmo tantos anos depois.

Quando você criou seu meadd e qual o motivo de fazer um?
- Foi tudo meio que num surto, sabe? Eu decidi que precisava abrir um login dedicado à Anya Taylor-Joy no fim do ano passado, por volta de Outubro de 2020. Fiquei meses falando sobre ela para o João, mas depois do lançamento de “O Gambito da Rainha” a obsessão escalou a um OUTRO nível e ele, como um bom amigo que sempre me incentiva a fazer algumas loucuras (e puxa minha orelha quando eu gasto dinheiro com outras, rs), disse que eu deveria abrir um login dela logo, e ainda complementou que “ela era o meu Timothée Chalamet”, comparando a sua trajetória com o ator - a criação do seu Meadd dedicado a ele foi o que o tornou ainda mais próximo do artista. Indeciso, ainda cogitando alguns nomes de usuário e pesquisando galerias de fotos, mencionei em um grupo de amigos o meu desejo de finalmente dar esse passo. Foi quando a Raquel (@zendayacoleman) me ofereceu o login @anyataylor que ela já havia criado há alguns anos, para que eu não precisasse comprar uma conta que estava inativa ou criar algo do zero. Eu, que sou muito compulsivo e sempre acabo criando novos logins para artistas que eu amo e admiro, aceitei na mesma hora e logo já providenciamos uma transferência do @anyataylor para a minha conta. Na mesma semana eu comecei a trabalhar no conteúdo interno porque eu simplesmente senti que precisava abrir o login o mais rápido possível. E olha, preciso confessar que essa foi a fase mais gostosa de todas. Eu adoro a antecipação de começar em um novo login e aqui eu senti uma conexão absurda e descobri uma nova paixão dentro do site. Fiz o look em questão de poucas horas, durante a madrugada, que para quem me conhece, é algo muito raro pois não consigo criar nada na pressão ou sem demorar muitas semanas (sofro muito com isso, aliás, e é por isso que sou muito relutante em abrir listas de venda!). Tudo o que vocês encontram nas páginas daqui é o resultado de uma curadoria absurda! Vasculhei tantos sites, li tantas páginas para descobrir novas coisas sobre a Anya que eu poderia trazer para cá e, organizar todo esse conteúdo, foi um prazer gigantesco. Eu sabia que cuidar desse espaço me deixaria ainda mais apaixonado por ela, mas foi ali que eu tive a certeza absoluta. Ainda existem diversas coisas que eu gostaria de testar e trazer para cá e sinto que esse login é o único que me dá espaço para esse tipo de aventura. Agradeço a todos os meus amigos que me ajudaram a tornar esse espaço real, principalmente aqueles que me incentivaram durante todo o processo e acompanharam as postagens e mudanças junto comigo. Cada comentário das pessoas falando que assistiram algum dos trabalhos dela (geralmente “Fragmentado”, “O Gambito da Rainha” ou “Novos Mutantes”) e que pensaram no meu Meadd e vieram falar comigo sobre é muito gratificante. Não é exatamente por isso que criamos contas dedicadas à quem amamos e nem o motivo das incontáveis horas procurando fotos, editando e tudo mais, mas é definitivamente uma das melhores coisas do site. Queremos compartilhar o talento dos nossos ídolos com todo mundo e saber que vários de vocês assistiram alguma coisa e gostaram, é maravilhoso! ♥

Fale um pouco de você e o que te levou a ser fã.
- Para quem ainda não me conhece, ou não sabia que esse login é meu, meu nome é Douglas, tenho 26 anos, canceriano com ascendente em capricórnio (dizem que explica muita coisa), sou de Campinas - SP, formado em Comunicação Social - Jornalismo e trabalho como Head de Conteúdo para uma companhia de mídia americana. “Wouldst thou like to live deliciously?” (THE VVITCH, 2015) Eu sou uma daquelas pessoas que quando gosta muito de uma coisa torna tudo o que fala, ouve e consome sobre aquilo, e essa é a principal coisa que vocês precisam saber sobre mim, para entender porque eu sou como eu sou com meus ídolos. Meus caminhos cruzaram com o de Anya ainda há alguns anos, por volta do lançamento do filme “A Bruxa”. O filme foi bastante comentado fora do país e se tornou um dos títulos mais aclamados da filmografia dela, e o mundinho cinéfilo brasileiro não passou imune da febre. Acompanhei todo o hype do filme um pouco de longe, esperando passar um pouco a época em que ele estava em alta como sempre costumo fazer quando quero assistir alguma coisa que está em uma constante popular e não quero que a opinião dos outros influencie as minhas próprias. De fato, o filme é TUDO ISSO de incrível que li pela mídia, pra mim. Esse não é um filme para todos, nem todo mundo entende a crítica social que ele traz e principalmente o final dele. E isso eu digo baseado em todas as vezes em que o indiquei para amigos e a recepção foi bastante mista, mas o defendo com unhas e dentes, sempre. A atuação de Anya ali foi bastante marcante pra mim e já fiz uma anotação mental para ficar de olho em seus projetos futuros. Com o tempo, continuei vendo alguns de seus projetos mais populares, como “Fragmentado” e o divertidíssimo “Playmobil: O Filme”, que assisti com a minha família. Por volta da mesma época ela foi escalada no fatídico “Os Novos Mutantes”, que demorou ERAS para ser lançado, mas que logo que seu nome foi anunciado, eu que sou super apaixonado pelos X-Men já fiquei bastante animado e ridiculamente ansioso para ver a sua interpretação de uma das minhas personagens femininas favoritas do universo mutante, a Magik. E ela o fez de forma BRILHANTE! Sem dúvidas a melhor que poderíamos sonhar em ter. Geralmente os filmes do universo X são bastante criticados pela fanbase e o casting sendo sempre uma das principais reclamações que vejo, mas Anya conseguiu conquistar TODO MUNDO a ponto de sonharmos com a possível volta da personagem em um futuro do MCU, claro, ainda interpretada por ela. Será que rola? O filme também tem no elenco dois atores brasileiros (!!), o que tornou todo o seu lançamento ainda mais interessante pra mim. “You must be the best judge of your own happiness.” (EMMA., 2020) Mas foi apenas na primeira metade de 2020 com o lançamento do filme “Emma.”, adaptação de um dos romances mais agridoces de Jane Austen (uma das romancistas que eu mais amo, aliás), que as coisas tomaram um outro caminho. Esse é o livro de Austen que eu mais me estressei ao ler porque Emma é, simplesmente, a personagem mais irritante de todos os tempos (e sim, ganha até de você, Mr. Darcy) então não estava esperando muito da nova adaptação (a primeira a gente finge que não existe, tá?). Deixa eu contar uma coisa pra vocês: eu não poderia estar MAIS enganado. Foi paixão à primeira vista desde o primeiro frame. O filme foi tão bem dirigido, escrito e escalado que transformou toda a minha opinião sobre o livro, que passei a enxergar com outros olhos depois que fiz uma releitura no fim do ano passado. A fotografia é espetacular e Anya trouxe uma Emma sarcástica e com zero noção de realidade, mas também adicionou muitas outras camadas à personagem que eu sem vergonha nenhuma passei a defender para todos os meus amigos que também tinham a mesma opinião sobre o livro. Depois disso, eu passei a respirar esse filme 24 horas por dia nos 7 dias da semana. Até no meu trabalho eu encontrei um jeitinho de enfiar frames meticulosamente bem pensados de “EMMA.”! A partir daí, comecei a procurar mais sobre Anya Taylor-Joy: o que fazia, o que já fez, quem é, como anda, o que tem a dizer, o que está aprontando… Todos os dias passava horas assistindo entrevistas atrás de entrevistas no Youtube e ouvir sua voz falando em inglês e depois em espanhol se tornou rotina. Algo que eu ouvia no fundo enquanto fazia outras coisas, sabem? Aliás, procurem os vídeos dela falando sobre a Argentina e conversando em espanhol porque vale muito a pena e eu não sei se é porque eu sou apaixonado por ela, mas é a coisa mais fofa e satisfatória do mundo. Por meses eu segui obcecado por ela, e por Emma Woodhouse. Em alguns aspectos eu até comecei a enxergar paralelos entre a minha personalidade e a das duas, atriz e personagem. O que é a coisa mais maluca e muito a minha cara de se fazer quando eu gosto de algo ou alguém. Em outubro do mesmo ano a Netflix lançou, de forma muito tímida até, a série “O Gambito da Rainha” e eu que já estava esperando os episódios caírem na plataforma, maratonei tudo no mesmo dia. “I didn't expect it." (THE QUEEN’S GAMBIT, 2020) Anya conseguiu me transportar, novamente, para um outro universo onde uma garotinha órfã e com muito pouco tato social conseguiu construir um nome para si mesma em uma época muito machista, apenas utilizando o cérebro. Eu tive que ver a série outra vez depois que terminei a primeira maratona! Naquela semana foi quando eu finalmente percebi, “será que já posso me considerar parte da fanbase dessa atriz incrivelmente talentosa?”. Em uma conversa com o João, na época, depois de dias falando sem parar sobre ela eu finalmente confessei: “tô virando muito fã da anya taylor-joy” e depois desse dia eu fisicamente precisei procurar outros trabalhos dela que eu possivelmente não tenha visto. E, claro, havia muitos! Na Netflix existem vários títulos disponíveis, então comecei por lá que era mais fácil e vi “Puro-Sangue”, que de início parecia um filme totalmente esquecível, porém, mais uma vez, eu não poderia estar mais enganado. Anya interpreta seus personagens com tanta maestria que fiquei de boca aberta o filme inteiro! É bem mais profundo do que o pôster e trailer davam a entender e é, com certeza, uma das jóias de sua filmografia. Na mesma semana vi também o filme “Barry”, que é uma cinebiografia do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, muito antes dele se tornar um político. Ela faz o papel de uma namorada que ele teve durante a faculdade, que supostamente desempenhou um papel importante na vida dele ao introduzi-lo pela primeira vez à alta sociedade de Nova York. Em “Peaky Blinders” vi apenas os episódios em que ela aparece, portanto não entendi nada do enredo da série e pretendo voltar do início para ver tudo com mais atenção, como todo projeto em que ela participa merece. Assisti todos os outros títulos depois disso, incluindo o terrível “Morgan: A Evolução” (mas como a Anya não erra, o filme pode ser ruim, mas seu desempenho como Morgan é um dos pontos altos do longa assim como sua contra-parte, Kate Mara), e eu preciso destacar um dos meus favoritos entre eles, que foi a brilhante minissérie “The Miniaturist”, produção de 2017 da BBC/PBS. A rendição de Anya como Nella é uma das coisas mais incríveis que tive a chance de assistir e, mesmo em apenas dois episódios, ela foi capaz de trazer à tela uma variedade tão grande de emoções e sentimentos que agora só consigo pensar em como esse projeto foi importante para moldar o seu talento e mostrá-la do que ela é capaz. O resultado vimos em Beth Harmon, né? “If I loved you less, then I might be able to talk about it more” (EMMA., 2020) Apesar de tudo isso, o pouco que pude conhecer de seu lado pessoal foi essencial na construção do meu amor por ela. Descobrir que temos as mesmas referências, que pensamos de forma similar e que ela é uma leitora tão voraz quanto eu foi muito importante pra mim. Acredito que quando nos tornamos fãs de alguém é porque, de alguma forma, nos encontramos em seus traços e trabalhos - aqui não poderia ser diferente. Anya é uma pessoa apaixonada pelo que faz e que não mede esforços para fazer o seu melhor em tudo o que se propõe. Ela sonha e mais do que isso, acredita que é capaz e merece tudo o que deseja e essa é uma filosofia de vida extremamente importante para mim e que eu quero levar para sempre.

Você coleciona alguma coisa do seu ídolo, o que?
- Ahhh, sim! Vocês me conhecem e aqui estamos falando 100% a minha língua. Quer puxar assunto comigo e não sabe sobre o quê? Fale sobre coleção! Eu adoro passar o meu tempo livre pesquisando memorabília e coisas que posso colecionar! 50 versões do mesmo produto? Tenho, quero e sei diferenciar exatamente cada um! haha Em relação à Anya, tenho poucas coisas, por enquanto. Apesar de já contar com uma boa quantidade de projetos no bolso, ela ainda é uma artista emergente e minhas opções são limitadas. Tento importar itens de outros países com uma certa frequência, mas com o dólar lá no alto, tenho tido o trabalho de garimpar muito mais pelos confins da internet (outro assunto que posso passar horas falando, tenho dicas de sites brasileiros e gringos ótimos!). Em minha coleção no momento tenho o meu filme favorito dentro da filmografia dela, que é “EMMA.” em Blu-Ray nacional, três versões diferentes do livro “O Gambito da Rainha” (brasileiro, americano e europeu), que deu origem a minissérie da Netflix estrelada por Anya - e fiz questão de comprar esse título não apenas pela imagem dela na capa e nem porque o projeto foi limitado apenas ao streaming (portanto não existe em DVD/Blu-ray), mas também porque ele foi uma GRANDE indicação de leitura da própria Anya e pela forma com que ele foi uma chave importante na paixão dela pela história e personagem que foi responsável pelo seu sucesso meteórico, o livro “Miniaturista” de Jessie Burton (brasileiro e TV tie-in britânico à caminho!), que foi a inspiração para a minissérie de mesmo nome da BBC estrelada por ela, a revista Vanity Fair, que foi a primeira grande capa de sua carreira em solo norte-americano e trouxe uma entrevista incrível com ela no miolo. Os DVDs nacionais dos filmes “A Bruxa”, “Morgan: A Evolução” e “O Segredo de Marrowbone” seguem na minha lista de desejos da Amazon esperando uma promoçãozinha haha Até que na verdade eu tenho bastante coisa, acho? Gostaria de no futuro importar os Funko! Pops da Beth Harmon, além dos títulos “Puro-Sangue”, “The New Mutants” e o box de “The Miniaturist”, que estão na minha lista de projetos favoritos dela também. Para mim é imprescindível ser fã de um artista e ter a memória física de seus trabalhos. Me sinto muito mais próximo de cada um deles e é dessa forma com que me sinto confortável externalizando parte do meu carinho. Entendo que nem todo mundo vê dessa maneira e já expliquei outras vezes o meu ponto de vista com mais detalhes (e muito estudo sobre o assunto!), então se te interessar, recomendo a leitura das minhas entrevistas anteriores ou também a minha caixa de comentários, que, mais uma vez, está sempre aberta para conversas sobre esse tema.

Já fez alguma loucura?
- Infelizmente não e, como já disse zilhões de vezes, acho que não faria. A Anya nunca veio ao Brasil e eu também não tive a oportunidade de viajar para fora do país desde que, de fato, me tornei fã dela (não vejo a hora de tudo se tornar seguro novamente). Adoraria encontrá-la algum dia, mas espero que seja em uma situação saudável e respeitando os limites da artista e pessoa que ela é por trás da imagem pública - estou direcionando todas as energias do Universo para que esse encontro aconteça, mas em uma situação de trabalho! Espero um dia poder dividir o set ou algum outro aspecto de um projeto com ela, pois como disse logo acima, admiro muito sua ética profissional e paixão pelo trabalho, e seria a oportunidade mais incrível da minha carreira poder dividir um pouco disso com ela. Quem sabe um dia? Torçam por mim!

Conte-nos uma curiosidade sobre você!
- A pergunta mais difícil de todas, sempre! Estive pensando por alguns dias e me dei conta de pequenas coisas que faço no meu dia-a-dia e devem contar como curiosidades sobre mim. Se não contar, ao menos finjam, tá? Quando estou triste ou estressado sempre recorro a vídeos de arte! Adoro passar horas vendo pessoas pintarem quadros em aquarela ou criarem esculturas com os mais diversos materiais. Ah, às vezes acabo entrando num loop de vídeos de pessoas fazendo limpeza… É, eu sou AQUELA pessoa chata da organização. Se moverem uma das minhas coisas alguns centímetros podem ter certeza: eu vou saber! Aproveitando a pergunta para voltar ao que importa, que é a Anya Taylor-Joy, uma coisa que as pessoas ficam muito surpresas ao descobrirem é que, apesar de ter nascido nos Estados Unidos (pois seus pais queriam um passaporte americano pra ela), Anya se considera argentina, porque ainda recém-nascida mudou-se para a Argentina e é onde viveu por 7 anos, até mudar-se novamente, desta vez para Londres, com sua família. Ela é fluente em espanhol até hoje (os vídeos em que ela em espanhol são TUDO PRA MIM, novamente), pois preza muito por suas raízes argentinas e por ter tido muita dificuldade em aprender um novo idioma quando era criança. Durante mais de um ano a única companhia que ela teve foram livros da saga Harry Potter, que foi como aprendeu a falar inglês e ajudou a despertar a sua paixão pela literatura. Seus melhores amigos estavam em Hogwarts, não no mundo dos trouxas, o que é uma coisa em que me identifico bastante pois minha maior companhia quando criança e adolescente foram livros, séries e filmes.

O que você passa mais tempo fazendo quando está navegando no meadd?
- O motivo de eu estar ainda no site é a liberdade de criar e dedicar parte do meu tempo livre aos meus ídolos. Eu venho de um passado onde eu administrei muitos fansites e, apesar de alguns deles ainda fazerem parte da minha rotina, aqui é uma plataforma diferente. Porém, o tempo que gasto aqui depende de como eu estou me sentindo no dia! Às vezes eu só me sinto com coragem de entrar para dar um UpMee, às vezes passo horas editando centenas de fotos para poder metralhar os álbuns nos meus logins (que não são poucos haha), às vezes só respondendo os comentários que vão se acumulando e alguns dias o melhor que consigo é ficar no meu cantinho só observando os outros fãs e o que todo mundo está fazendo. No último ano acho que passei a maior parte do tempo criando meus conteúdos internos e sendo um pouco megalomaníaco com eles inventando um número absurdo de páginas para deixá-los cada vez mais completos. Como vocês puderam ler na pergunta acima, eu adoro organização e me sinto muito realizado em poder completar esses “quebra-cabeças” de páginas e informações. Acho que também tem uma coisa muito nostálgica no site que nos transporta para uma época em que tínhamos a liberdade para personalizar os textos com cores e caracteres diferentes que se perdeu na transição para as redes sociais que conhecemos hoje.

Na sua opinião, qual a melhor coisa do meadd?
- Essa é uma pergunta que eu tenho refletido bastante nos últimos meses. Sinto que 2021 me ensinou muito sobre o site e quem o utiliza, me forçou a rever algumas coisas que eu tinha como claras e certas. Nas minhas entrevistas anteriores, respondi que o melhor do Meadd são os amigos que fazemos e os laços que levamos para além do site - sejam por ídolos em comum ou pelo mesmo círculo de pessoas que se juntam por se identificarem na rotina que estabelecemos aqui dentro. Acho que isso não me cabe mais, não da forma com que eu imaginava. É claro que os amigos que temos aqui dentro são peças importantes na construção de quem somos porque é impossível de acontecer de outra forma (quantos de vocês viveram os anos formativos aqui dentro e tiveram suas personalidades moldadas pelo site?). Tenho sentido cada vez mais que o que me atrai no Meadd é o Meadd, a plataforma. É um fotolog que viveu o seu auge, justamente em uma época da internet em que as pessoas utilizavam o computador com mais frequência e a internet, em suma, era totalmente polarizada por ele e que sobreviveu e resistiu a revolução do celular e viu a internet migrar para telas menores e plataformas diferentes, menos focadas no todo e mais no conteúdo. E é justamente isso que forma o melhor do Meadd pra mim: o todo, o conjunto, o pacote completo. A possibilidade de estilizar o meu login da forma com que eu quiser - desde o fundo até o avatar, os links e, também, o conteúdo interno (que eu amo fazer!). No último ano vimos um novo ponto de vista na forma com que utilizamos essas ferramentas, em grande parte graças à usuários que vieram de outros fotologs que não se sustentam mais como o Meadd, integrando o background ao banner e formando um layout mais complexo, completo e único. É uma forma que eu ainda sinto que preciso testar, admito. Se o site permitisse o uso de CSS como complemento, para quem sabe utilizá-lo, seria ainda mais incrível. Existem muitas coisas que podem ser melhoradas, outras que podem ser implementadas, sempre há espaço para mudar (basta ouvir os usuários). A variedade de dimensões que podemos utilizar ao editar as fotos dos nossos ídolos, as cartela de edições que se adaptam de usuário a usuário, o cuidado com os selinhos do esquilo (aliás, queremos mais!)... São essas coisas que me fazem permanecer no Meadd e, acredito, que essa seja a melhor coisa dele. (Ah, não pode faltar: João, te amo! Você sabe que é #1 na minha lista de “Melhores Coisas do Meadd.com”, né?)


Uma indicação para destaque
- /dakotajohnson

sencalkapimi

1. sencalkapimi 17 de julho de 2021 às 09:55

capa lindaaa
parabéns love

bluntemily

2. bluntemily 17 de julho de 2021 às 09:57

Capa lindíssima, parabéns Douglas love

ucm

3. ucm 17 de julho de 2021 às 09:58

meu deus a bibliba sagrada

idda

4. idda 17 de julho de 2021 às 10:34

Gente, que capa perfeita!
Parabéns, mereceu muito heart

petersonlins

5. petersonlins 17 de julho de 2021 às 10:55

Se essa entrevista fosse um áudio, seria um podcast hahahahaha
Arrasou!!!
Parabéns!! ❤️

pastinpics

6. pastinpics 17 de julho de 2021 às 10:56

Entregou a leitura do mês!! Hahaha
Parabéns!!

franciscomoreira

7. franciscomoreira 17 de julho de 2021 às 11:05

Parabens pela linda entrevista
A capa tá bela 😍

mileyrcyrus

8. mileyrcyrus 17 de julho de 2021 às 11:26

Parabéns, linda capa e entrevista linda, super mereceu AAAAAAAAA

esterexposito

9. esterexposito 17 de julho de 2021 às 11:28

Que capa linda mds *-* Parabéns Douglas, eu jurava que vc já tivesse o selo de fã! Seu meadd sempre lindo demais love love

Uma indicação para destaque
- /dakotajohnson

Alien, siiim! Já passou da hora da Thau ganhar esse segundo selinho! É uma usuária extremamente ativa e querida, além de ser SUPER fã da Dakota, merece muito heart heart

thamyrigaud

10. thamyrigaud 17 de julho de 2021 às 11:46

Parabéns

gazitos_style

11. gazitos_style 17 de julho de 2021 às 11:48

Parabéns ♥️

timotheechalamet

12. timotheechalamet 17 de julho de 2021 às 11:53

LENDA QUE SEMPRE SERVE AS MELHORES ENTREVISTAS

AMEIIII ESSA CAPAAAAAA 💖💖💖💖

A INDICAÇÃO PRO DAKOTAJOHNSON MDS MERECE DEMAISSS, ativa há 6 anos sem parar 💖

jadeverde

13. jadeverde 17 de julho de 2021 às 12:24

Parabens

superreality

14. superreality 17 de julho de 2021 às 12:29

parabéns

cleiton

15. cleiton 17 de julho de 2021 às 12:52

E COMO SEMPRE, o mais completo, o mais certeiro nas palavras, amei teu destaque, espero que a semana tenha sido INCRÍVEL <3

pedru

16. pedru 17 de julho de 2021 às 12:56

Parabéns! Mereceu sim o selo roxo! 💜

starwars

17. starwars 17 de julho de 2021 às 13:27

parabens pelo destaque! blush

natportman

18. natportman 17 de julho de 2021 às 13:39

A Anya é maravilhosa demais, sou muito fã do trabalho dela também, Parabéns Dougllas, ahazou demais, amei sair com vc na grade heart

dannapaola

19. dannapaola 17 de julho de 2021 às 13:55

Parabéns! A capa está linda
adorei a indicação

hayleywilliams_

20. hayleywilliams_ 17 de julho de 2021 às 13:55

Capa linda

amanda

21. amanda 17 de julho de 2021 às 14:58

Adorei a entrevista heart
A Anya com certeza vem sendo muito bem representada por você no site. É impossível de eu não associá-la a você, que de maneira fanática e pelo amor que possui por ela, está sempre falando dela e de seus projetos.
Acredito que meu preferido tenha sido A Bruxa e Fragmentado que eu gosto bastante heart
Parabéns pela entrevista!!!
Sua capa ficou linda, aproveite seu merecido selo

amanda

22. amanda 17 de julho de 2021 às 14:59

- /dakotajohnson

Por favor Alien!

leongoretzka

23. leongoretzka 17 de julho de 2021 às 15:26

Capa, entrevista e indicação impecáveis ❤

myllafarias

24. myllafarias 17 de julho de 2021 às 15:32

Capa lindaaa love
Parabéns!

shaki

25. shaki 17 de julho de 2021 às 15:59

entrevista maravilhosa!!!
gente seria meu sonho ter o css aqui pra gente estilizar?
PQP IA FICAR DO CAR4LH0

robbrasil

26. robbrasil 17 de julho de 2021 às 16:33

Parabéns, Doug 👏
Você merece demais esse momento!
Tudo incrível como sempre heart

taylorswift13

27. taylorswift13 17 de julho de 2021 às 17:21

o maiorrrrr, reizinho!
parabéns amigo heart heart heart

madsen

28. madsen 17 de julho de 2021 às 17:21

▸ gente ele é meu xara, que maximo ! Esses meadd fans vem com umas capas maravilhosas putis grilla sô. Parabénssss

taylorswift13

29. taylorswift13 17 de julho de 2021 às 17:22

(Ah, não pode faltar: João, te amo! Você sabe que é #1 na minha lista de “Melhores Coisas do Meadd.com”, né?)

eu amooooooo uma amizade! love

wordsneversaiid

30. wordsneversaiid 17 de julho de 2021 às 19:11

love love love

perfil

31. perfil 17 de julho de 2021 às 19:44

Parabéns

luisa

32. luisa 17 de julho de 2021 às 22:25

Parabéns Douglas, todo sucesso do mundo
ótima capa, e entrevista impecável, sucesso

catdoja

33. catdoja 17 de julho de 2021 às 22:27

Parabéns 💙

taylormomsen

34. taylormomsen 17 de julho de 2021 às 23:23

love

kell

35. kell 18 de julho de 2021 às 08:44

eu sempre fico chocada quando a entrevista é desse tamanho hahahah Parabéns Douglas love

dakotajohnson

36. dakotajohnson 19 de julho de 2021 às 08:13

Doug como sempre servindo muito na entrevista inteirinha cry
Conheci a Anya através de 'Fragmentado' fiquei totalmente extasiada com o talento e atuação dessa menina
quando você abriu esse login, fiquei tão feliz! Muito obrigada por mostrar um pouco mais da Anya pra gente
parabéns pelo selo de novo ami, foi muito merecido
e não tenho palavras pra agradecer a indicação cryheart