amberheardx
amberheardx

badge badge

News

■ Vida Pessoal •

Em dezembro de 2010, Heard participou do 25º aniversário da GLAAD (The Gay & Lesbian Alliance Against Defamation), ao qual foi acompanhada de sua então namorada, a fotógrafa e artista Tasya van Ree. Amber assumiu naquele evento estar num relacionamento homossexual. Em 2012, começou um relacionamento com o ator Johnny Depp. Os dois se casaram em 3 fevereiro de 2015. Em maio de 2016 separaram-se. Considerada como um símbolo sexual, Heard muitas vezes aparece nas listas das revistas da especialidade. Em 2010 foi eleita a n.° 13, na lista da revista Maxim das "100 mulheres mais sexys do mundo" á em 2013 ficou na décima posição. Em 2009 foi presa por agredir a sua então namorada a fotografa Tasya Van Ree, mas foi retirada a queixa. Em 16 de julho de 2015, Heard foi processada por ter transportado ilegalmente os seus cães para a Austrália, e também teve de se apresentar em tribunal no mês de setembro e, segundo a imprensa local, arrisca uma pena de prisão que pode ir até aos dez anos ou uma multa de mais de 67 mil euros. Em 21 de maio de 2016 acusou o marido Johnny Depp de agredi-la após uma discussão conjugal. Ela pediu divórcio dois dias depois. No dia 27 os dois foram parar nos tribunais. inco dias depois, ela pediu e obteve uma ordem de restrição temporária contra ele, afirmando em sua declaração judicial que "durante toda a nossa relação, Johnny foi verbal e fisicamente abusivo para mim". Ela afirmou que o último incidente de violência ocorreu em 21 de maio e fez declarações de duas testemunhas - suas duas amigas Tillet Wright e Raquel Pennington - e fotografias de seu rosto golpeado como evidência..
Wright tinha chamado o LAPD durante o incidente, mas Heard declarou-lhes que era uma "disputa verbal somente", e os oficiais, duas testemunhas neutras não viram "nenhuma injúria" "nenhuma evidência de um crime naquele momento". Em resposta, os advogados de Depp disseram que ela estava "tentando obter uma resolução financeira prematura alegando abuso. Em 31 de maio, Heard deu uma declaração ao LAPD sobre o incidente em 21 de maio; seus advogados afirmaram que ela inicialmente estava relutante em envolver a justiça no caso, a fim de "proteger sua privacidade e carreira de Johnny", mas foi forçada a fazê-lo "para definir o registro correto em relação aos fatos verdadeiros, como ela não pode continuar deixa-se aberta para alegações falsas e maliciosas que infectaram a mídia". No dia seguinte, Amber enviou fotos para People de um suposto incidente anterior a violência doméstica,e em 4 de junho, Wright publicou um ensaio sobre na Refinaria29, no qual ela escreveu sobre testemunhar provas de abuso durante todo o casamento e criticou a mídia por culpar a vítima quando ela decidiu ir a público sobre isso. ais tarde naquele mês, Heard processou o amigo de Depp, o comediante Doug Stanhope por difamação depois que ele escreveu em uma coluna para TheWrap que ela estava chantageando Depp e retirou seu pedido inicial de apoio ao cônjuge. O divórcio foi liquidado em 16 de agosto de 2016, com Heard recebendo US $ 7 milhões e retirando a ordem de restrição contra Depp. Eles também emitiram uma declaração conjunta, que dizia que sua "relação era intensamente apaixonada e às vezes volátil, mas sempre ligada pelo amor. Nenhuma das partes fez as falsas acusações de ganho financeiro. Nunca houve intenção de dano físico ou emocional". Heard declarou que deverá doar todo o dinheiro do divórcio para a American Civil Liberties Union e Children's Hospital Los Angeles. Após isso Heard entrou com uma nova ação pedindo que Depp pagasse as contas de joalheiros e estilistas, mas o juiz negou e encerrando o divórcio no acordo previo
Special